Aedes

O Brasil está entre os países mais empreendedores do mundo, segundo estudo do SEBRAE. Ontem no Comitê de Jovens Empreendedores da FIESP, eu tive a oportunidade de conhecer 4 Startups inovadoras que tem trabalhado uma questão de extrema importância hoje no Brasil: o controle do Aedes aegypti.

O S.O.S. dengue, da empresa Fast Apps, é um aplicativo voltado para informação de sintomas e transmissão de dengue, chicungunha, zika e microcefalia, além da notificação de focos de criação do mosquito Aedes aegypti.

A M.I. aedes, da Ecovec, faz o monitoramento da infestação do Aedes por meio da coleta de mosquitos fêmeas em armadilhas. O sistema de monitoramento inteligente para controlar a epidemia de dengue recebeu o prêmio da Fundação Gates como tecnologia de maior importância social do mundo e fornece um dashboard para o gestor municipal planejar ações de controle nos focos de infestação.

A MGDBrands é uma empresa especializada em Moda Gestante que desenvolveu uma linha de roupas com nanopartículas de citronela com efeito repelente de mosquitos. Entre os próximos passos da empresa está a confecção de roupas com citronela e permetrina para agentes de saúde, um novo tipo de equipamento de proteção individual (EPI).

A Denguetech, da BR3, em cooperação tecnológica com a Fiocruz desenvolveu um inseticida biológico de BTI que não causa resistência do mosquito e controla a larva ao liberar micro-organismos que a matam, impedindo o ciclo de reprodução do Aedes.

Essas startups são alguns exemplos de como pessoas empreendedoras encontraram um nicho de mercado na saúde pública. A transmissão de doenças pelo Aedes aegypti é apenas um dos problemas que enfrentamos hoje. Se você tem alguma ideia de produto ou serviço que tem como objetivo melhorar a saúde, entre em contato com a nossa equipe e saiba como podemos te ajudar.

Leave a Comment